top of page
Image by Christian Wiediger
  • Foto do escritorHonassys R. Rocha Silva

Ceratocone: o que você precisa saber sobre essa doença dos olhos

Atualizado: 27 de nov. de 2023

Você sabe o que é #ceratocone? Nesse conteúdo nós vamos mostrar o que é esta doença!


Assista ao vídeo, deixe sua curtida e se inscreva no canal!


Em um dos nossos conteúdos, Noemi Oliveira nos perguntou sobre o #ceratocone.


Então nesse vídeo, nesse conteúdo, nós vamos falar generalidades a respeito dessa condição, que antigamente se acreditava ser somente do olho, mas os últimos estudos - as últimas teorias - mostram que ela pode sim ser uma doença sistêmica, de todo o organismo.


O ceratocone é a córnea em forma de cone.

A córnea é um estrutura transparente que em, condições normais, ela tem esse formato conhecido como "asférico".

E, no ceratocone essa córnea vai ficando meio que pontuda em forma de um cone. Ela vai se amolecendo e vai ficando nesse formato, que é um formato irregular e que provoca baixa divisão.


Então, os sintomas do ceratocone são: a baixa divisão, especialmente para longe.

Pessoas com ceratocone, elas costumam ter miopia e astigmatismo. A visão pode ficar um pouco embaçada, dependendo dessa inclinação, dessa angulação.


As córneas que são muito curvas, principalmente essas córneas acima de 50, às vezes de 60 de optrias, elas podem apresentar (o paciente pode apresentar) uma distorção no formato da visão.


Muitas dessas pessoas apresentam uma sensação de coceira nos olhos.


Inclusive, antigamente se falava muito sobre o ceratocone, quando eu fiz a residência médica, de que se discutia se a coceira era causa ou consequência da doença.


Se você esfregar muito os olhos, isso poderia encurvar a córnea e provocar o ceratocone.

No entanto, a sensação, a vontade de coçar é uma das características desta doença e seria uma consequência da doença.


O diagnóstico é feito de maneira clínica. O médico ou a médica oftalmologista suspeita de ceratocone nessa situação quando principalmente o paciente tem uma curva muito acentuada.


As curvas são em média em torno de 40 dioptrias e pacientes que tenham 45, 47, ele já vai ficando no limite, essas pessoas são suspeitas de ceratocone.

Então essa medida, esse número que eu falei, vem da ceratometria, que é a medida dessa curvatura da córnea.


Então ela pode ser em raio, quando colocado aqui nessa distância, um raio imaginário que faz essa angulação, e pode ser dioptria também.


Então córneas que são mais curvas, elas são suspeitas. Então o diagnóstico é exame clínico, pelo médico, pela médica oftalmologista, ceratometria, que é essa medida desse número da curvatura da córnea.


Existe um exame chamado ceratoscopia e também a topografia de córnea, que é como se fosse a leitura de uma montanha vista de cima e aí nós observamos as áreas mais altas em cores mais quentes e as áreas mais baixas em cores frias.


E dependendo do formato dessa imagem, dessa combinação das áreas mais curvas e as áreas mais planas, nós podemos ter imagens muito sugestivas de ceratocone visto pela topografia.


E um exame mais moderno, mais atual, que pode também diagnosticar o ceratocone é a tomografia de córnea.


O tratamento, a correção visual inicialmente, quando ainda não é diagnosticado o ceratocone, quando ele está numa condição chamada de subclínica, podemos corrigir a visão ainda com óculos.


Depois de um tempo que a córnea vai se encurvando mais, é demandado o tratamento com lentes de contato, especialmente as lentes de dupla face, dupla curvatura, que melhor se moldam a córnea com o ceratocone.

Se a doença continuar progredindo, nós podemos utilizar uma técnica conhecida como crosslinking, que é a aplicação de ultravioleta associado vitamina de complexo B na córnea para que a estrutura fique mais dura e fique mais difícil de ela continuar se encurvando.


Em seguida, podemos utilizar o implante de um anel dentro da córnea para que seja uma estrutura, como se fosse um pilar estrutural que impede essa córnea de continuar se encurvando.


E o último recurso é o transplante de córnea.

Você está gostando do vídeo?

Deixe sua curtida e pense em compartilhar esse conteúdo com uma pessoa que tem suspeita dessa doença.


Para finalizar, eu vou falar um pouco de prevenção.


Você lembra no começo do vídeo que eu falei que o ceratocone poderia ser uma doença multifatorial, sistêmica?


Então, o que acontece? Alguns estudos, alguns trabalhos mostram a associação entre o cerotocone e o nível baixo de vitamina D no sangue.


Isso também ocorre com essa relação, que não necessariamente é uma relação de causa e efeito, é uma relação estatística.


Ocorre também com o magnésio. Pessoas com ceratocone costumam ter níveis de magnésio baixos no sangue.


Tendo em vista a prevenção, eu vou mostrar pra você agora essa imagem que eu achei muito interessante.


Inclusive o artigo científico que é fonte dessa imagem, vou deixar na descrição do vídeo.


Você pode ver. Esse artigo está aberto para leitura por qualquer pessoa.


E aí, o que fazer se você tem um suspeita de ceratocone?


Basicamente você se consultar com o seu médico, com a sua médica oftalmologista, olhar quais são as opções de tratamento disponíveis para o seu caso em específico e daí seguir fazendo as avaliações periódicas com o seu médico e com a sua médica.


Se você tem dúvidas sobre o ceratocone?


Tem dúvidas sobre outras doenças na oftalmologia?


Coloque pra mim aqui nos comentários e eu vou ter a máxima satisfação em elaborar um novo conteúdo.


A visão é o sentido mais importante do ser humano.


Um grande abraço e até a próxima! Até a próxima!

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page