top of page
Image by Christian Wiediger
  • Foto do escritorHonassys R. Rocha Silva

Uso de Losartana em pacientes com glaucoma.

Atualizado: 20 de jun. de 2023

Neste artigo vou compartilhar minha experiência com o tratamento de pessoas com #glaucoma e #HipertensãoArterial, especificamente em relação à #Losartana.


Recentemente atendi uma paciente em torno de 50 anos de idade, que já realizava acompanhamento periódico a cada 6 meses, por conta de seu histórico familiar de glaucoma. Essa paciente apresenta pressão limítrofe em torno de 20 mmHg. Em uma das consultas de acompanhamento, ela apresentou a pressão ocular de 5 mmHg a menos em um olho e 4 mmHg no outro olho, o que me chamou à atenção, pois existiu algo novo que alterou as medidas. Asseguro que eu mesmo realizei as medidas anteriormente nessa paciente, no mesmo aparelho, devidamente calibrado. Particularmente utilizo o teste de sobrecarga hídrica e faço comparação dos picos e, de fato, esses picos estavam com a alteração supra citada.





Na realização da anamnese identifiquei que o fato novo foi a adoção da Losartana, para tratamento de hipertensão arterial, três meses antes da consulta #oftalmológica, não tratada anteriormente. Realizei a devida revisão bibliográfica e observei que, desde o ano 2000 já há descrição do efeito hipotensor ocular da Losartana. Posso citar como exemplo, um artigo de revisão do final de 2017, que mostra que a Losartana, de fato, é uma droga que reduz a pressão intraocular e que ela protege de #cegueira por várias causas, inclusive glaucoma. Ou seja, podemos explorar a potencialidade de efeito colateral positivo da droga, na pessoa que tem o glaucoma.


A automedicação causa riscos a sua saúde. Consulte seu médico.


Usualmente solicito ao #cardiologista que acompanha este paciente que tem glaucoma, para que ele inclua a Losartana em seu tratamento ou que aumente a dosagem, desde que não venha provocar efeitos colaterais prejudiciais. A partir desse momento, temos uma segurança maior em conduzir os pacientes, algumas vezes sem a necessidade de utilizar colírios ou laser, mantendo a observação e acompanhamento a cada seis meses.


Além desse efeito redutor da pressão intraocular que existe com a Losartana e com a Olmesartana, também já descrito, existem, também, evidências de uma #neuroproteção.


Em resumo, podemos aproveitar esses dois efeitos colaterais, do tratamento da hipertensão arterial #sistêmica em #beneficio do paciente com glaucoma:

  1. O efeito hipotensor intraocular da Losartana e de seus derivados;

  2. Mecanismo de neuroproteção.

Existem outras drogas para tratamento da hipertensão arterial sistêmica que podemos aproveitar seus efeitos colaterais no olho em benefício das pessoas tratadas para glaucoma, mas isto é tema para um outro artigo.


Abaixo estão alguns links de artigos científicos que tratam desse tema:

Dr. Honassys Rocha

Tecnologia aplicada a qualidade de vida do paciente com glaucoma.


tomografiadecoerenciaoptica.com

laserparaglaucoma.com

211 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page